quinta-feira, 16 de setembro de 2021

Palácio Nacional de Queluz




 O Palácio Real de Queluz, também chamado de Palácio Nacional de Queluz, consiste num palácio do século XVIII. Um dos últimos grandes edifícios em estilo rococó erguidos na Europa, o imóvel foi construído como um recanto de verão para D. Pedro de Bragança.

Serviu como um discreto lugar de encarceramento para a rainha D. Maria I, enquanto demente e sobretudo despois da morte de D. Pedro, em 1786. Após o incêndio que atingiu o Palácio da Ajuda em 1794, o Palácio de Queluz tornou-se a residência oficial do Príncipe Regente português, o futuro D. João VI e de sua família. Permaneceu assim até à fuga da Família Real para o Brasil, em 1807, devido às Invasões Francesas.

A construção do Palácio iniciou-se em 1747, tendo como arquitecto Mateus Vicente de Oliveira. Apesar de ser muito menor, é chamado frequentemente o "Versailles português". A partir de 1826, o palácio deixou lentamente de ser o eleito pelos soberanos portugueses. Após um grave incêndio ocorrido em 1934, o qual destruiu o seu interior, o monumento foi extensivamente restaurado e, hoje, encontra-se aberto ao público.

Uma das alas do Palácio de Queluz, o Pavilhão de Dona Maria, construído entre 1785 e 1792 pelo arquitecto Manuel Caetano de Sousa, é, na actualidade, um quarto de hóspedes exclusivo para chefes de Estado estrangeiros em visita a Portugal.

Está classificado como Monumento Nacional desde 1910.

Fonte: Net

quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Águas Soltas




Viva em harmonia com as leis da natureza e você nunca será pobre.
Viva em harmonia com opiniões e nunca será rico.

Sêneca

segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Mar




Os pescadores sabem que o mar é perigoso e a tormenta terrível, mas este conhecimento não os impede de lançar-se ao mar.

Vincent Willem van Gogh (1853 – 1890) foi um pintor pós-impressionista holandês, considerado um dos maiores pintores de todos os tempos, mas só teve seu trabalho reconhecido depois de sua morte.

domingo, 12 de setembro de 2021

Domingo



A paz na terra, anseio profundo de todos os homens de todos os tempos, não se pode estabelecer nem consolidar senão no pleno respeito da ordem instituída por Deus.”

Papa João XXIII

sábado, 11 de setembro de 2021

Fim de tarde




 O homem que se esforça para atingir o ideal assemelha-se ao viajante que, ao entardecer, sobe a colina: lá no cimo, não está mais perto das estrelas, mas vê melhor.

Jules Tannery

sexta-feira, 10 de setembro de 2021

Nenúfares



 

Significado dos nenúfares

No momento de querer expressar a pureza dos nossos sentimentos para com alguem, uma boa forma de o fazer é dando uma flor de nenúfares.

quinta-feira, 9 de setembro de 2021

Reflexos




 da saudade que fica eu guardo o momento, em aguarelas que faço ao sabor da minha lente.


quarta-feira, 8 de setembro de 2021

Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian




Construído na década de 60, segundo projeto dos arquitetos paisagistas António Viana Barreto e Gonçalo Ribeiro Telles, o Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian é um dos jardins mais emblemáticos do movimento moderno em Portugal e uma referência para a arquitetura paisagista portuguesa.
O tipo de desenho baseado numa geometria subtil, que nos oferece espaços e ambiências em vez de eixos, caminhos e canteiros, e a utilização da vegetação rompem internacionalmente com as práticas da época, para celebrar a paisagem portuguesa – de onde provém o verdadeiro Jardim Português. A reprodução de códigos da ecologia da paisagem portuguesa patente na escolha, consociação e localização das espécies vegetais, o diálogo entre a orla e a clareira, a construção do espaço com a luz mediterrânica e o copado das árvores, criam situações, “micropaisagens”, que nos são familiares, não só a nós, humanos, como à fauna silvestre que atrai.
Esta forma de trabalhar o lugar a partir das regras da paisagem é uma característica forte da escola de arquitetura paisagista portuguesa com raízes na escola alemã, e que atinge neste jardim o auge da sua expressão.

segunda-feira, 6 de setembro de 2021

Mar




“Tenho esperança de que um maior conhecimento do mar, que há milênios dá sabedoria ao homem, inspire mais uma vez os pensamentos e as ações daqueles que preservarão o equilíbrio da natureza e permitirão a conservação da própria vida.”

Jacques Cousteau

domingo, 5 de setembro de 2021

Dia Europeu da Cultura Judaica


O Dia Europeu da Cultura Judaica celebra-se a 5 de setembro de 2021.

O objetivo desta data é dar a conhecer melhor a cultura judaica e as suas tradições nos países europeus através de atividades relacionadas com esta cultura.

O dia comemora-se em quase todos os países da Europa e Portugal não é exceção. Foi em 2014 que Portugal participou pela primeira vez no Dia Europeu da Cultura Judaica, com várias atividades realizadas em localidades como Castelo Branco.

Kippah

É proibido entrar numa sinagoga, mencionar o nome divino, recitar uma prece ou benção, estudar a Torah ou realizar qualquer acto religioso de cabeça descoberta.


sábado, 4 de setembro de 2021

Entardecer entre o Mar e a Serra




"Sente-se à beira do amanhecer,
o sol nascerá para você.
Sente-se à beira da noite,
as estrelas brilham para você.
Sente-se à beira do rio, ...
o rouxinol canta para você.
Sente-se à beira do silêncio,
Deus vai falar com você."
(Oração Indígena - A oração do silêncio)

sexta-feira, 3 de setembro de 2021

Barcos




Se estamos num barco, é bom escutar as águas,
apreciar as margens, tentar enxergar
o porto de chegada: não com ânimo sombrio,
mas como quem, em plena viagem,
avalia o próximo cais e tenta se abrir
para o novo que ali nos aguarda.

Lya Luft

quinta-feira, 2 de setembro de 2021

Reflexos




Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens, além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo.

Hermann Hesse

quarta-feira, 1 de setembro de 2021

Folhas de Nenúfares




Todas as flores do futuro estão contidas nas sementes de hoje.

Provérbio chinês

segunda-feira, 30 de agosto de 2021

Mar






Quero ser feliz nas ondas do mar. Quero esquecer tudo, quero descansar.
Manuel Bandeira, poeta

domingo, 29 de agosto de 2021

Domingo


A paz exige quatro condições essenciais: verdade, justiça,amor e liberdade.

João Paulo II

sábado, 28 de agosto de 2021

Sunset




Até que o sol se vá, eu ainda tenho uma luz.
Kurt Cobain

sexta-feira, 27 de agosto de 2021

O dia do Cão




O Dia do Cão comemora-se anualmente no dia 26 de agosto. Sim, o melhor amigo do homem tem um dia especial!

O Dia do Cão celebra este impressionante animal e todas as suas tradicionais características, em especial a sua lealdade! Um dos mais queridos animais de estimação dos seres humanos desde tempos imemoriais tem assim uma oportunidade de ser ainda mais acarinhado pelos seus donos.

Aproveita-se ainda o Dia Mundial do Cão para consciencialização das populações para a importância da defesa dos direitos dos cães e dos animais de companhia em geral. Atualmente existem milhares de cães em Portugal vítimas de maus tratos.

Muitos vivem na rua, um problema que se agrava com altas taxas de abandono, especialmente na altura do verão. Vem daí também a importância da escolha do mês de agosto para a celebração da data.

A data é aproveitada ainda para promover vários tipos de ação, entre as quais a adoção consciente de cães em canis ou abrigos temporários.

É importante relembrar que o abandono e maus-trato a animais de companhia em Portugal constituem crime segundo os artigos 387º e 388º da Lei n.º 69/2014, de 29 de Agosto.

O Dia Mundial do Cão é comemorado no dia 26 de agosto por influência da América do Norte, que começou a celebrar o National Dog Day nessa data.

OBS:Por lapso agendei para hoje quando devia ter sido ontem.

quinta-feira, 26 de agosto de 2021

Ruínas da Ermida de Nossa Senhora da Conceição



 
História

Tanto quanto se sabe, pertencia ao Solar dos Magriços, hoje ruínas aterradas. A  Capela pertencia também aos Magriços, um deles D.Álvaro Gonçalves Coutinho, amigo de Luís de Camões, que o celebrizou como um dos doze cavaleiros que se deslocaram a Inglaterra para defender a honra feminina.

Hoje, também a Capela está em ruínas, após desabar o tecto. Mas não era só capela, no andar superior habitavam os Padres Paulinos. As janelas ainda conservam as grades. No pátio existia e ainda existe um poço enorme que a população utilizava para se abastecer de água. Mas como as mulheres faziam muito barulho nas conversas de umas com as outras, os Padres Paulinos pediram ao seu superior umas outras instalações pois tal algazarra perturbava as suas orações. E assim, foi construído o Convento dos Capuchos para onde se mudaram. Esta Capela não teve boa sorte, começou por sofrer um incêndio em 1835 e as suas imagens mais tarde passaram para a Igreja de S. Pedro, Igeja Matriz da Trafaria.

Em finais de 1800 estava na posse da família Zagallo e Mello, que vendeu a Mariana Ribeiro Danino, casada com um engenheiro Inglês que tinha vindo de Gibraltar, para trabalhar nas Minas de S. Domingos, próximo de Mértola. Curiosamente em festas religiosas, a procissão ainda sai do local onde se situa a Capela. Posteriormente passou a armazém, vacaria, voltando novamente a armazém.

Quando se fizeram reparações, apareceram algumas moedas, Patacas. Está projetado pelo Município de Almada, aquele local vir a ser reabilitado, uma vez que se situa no centro histórico.E bem o merece, para mais está contíguo a uma zona verde, protegida, que se debruça sobre o Rio Tejo.

Fonte :Wikipédia.

PS:Neste momento está completamente em ruínas e o que se consegue ver é o que fotografei.