domingo, 16 de agosto de 2020

Domingo


O Dia de São Roque celebra-se a 16 de agosto.


São Roque nasceu por volta de 1295 em Montpellier, França e terá morrido na mesma cidade a 16 de agosto de 1317, com apenas 22 anos.

Filho de uma família nobre e abastada, São Roque ficou órfão ainda jovem. Quando atingiu a maioridade doou os muitos bens herdados aos pobres e, por lei, ao seu tio, partindo em peregrinação sem nada para Roma.

No decorrer da sua viagem cruzou-se com muitas cidades assoladas pela peste. Prestou-se prontamente a ajudar todos os doentes, protagonizando curas milagrosas com um bisturi e o sinal da cruz. Onde havia sinais de peste, São Roque aparecia para curar os doentes, colocando a sua própria vida em risco.

Em Piacenza, no regresso de Roma a Montpellier, São Roque foi ele próprio atacado pela peste. O santo decidiu então isolar-se na floresta da cidade para não contagiar e para não perturbar ninguém com os seus gritos. Terá sobrevivido graças a um cão que lhe levava pão todos os dias. Curioso, o dono do cão seguiu-o e encontrou São Roque, do qual se tornou amigo e o ajudou na doença.

Curado milagrosamente, São Roque regressou a Montpellier para doar o resto dos seus bens. Porém, com a cidade em guerra civil, o santo foi confundido por um espião e foi preso. O governador da cidade, seu tio, não o reconheceu, nem o santo se terá identificado. São Roque permaneceu em esquecimento, preso durante anos, a viver a pão e água e em oração a Cristo.

Um dia, o carcereiro da prisão, que era coxo, e que se tinha tornado amigo do santo, viu faixas de luz a sair da cela de São Roque, e deparou-se com o corpo do santo estendido no chão. Reza a história que ao tocar com a perna no corpo do santo para ver se este estava morto, o carcereiro se curou milagrosamente. A notícia que morreu um santo em Montpellier espalhou-se rapidamente, e o santo acabou per ser identificado pela família como São Roque, pelo sinal em forma de cruz, cor de vinho, junto ao peito.

São Roque tornou-se o santo padroeiro dos inválidos e dos cirurgiões, sendo invocado contra as pestes e epidemias, sobretudo na proteção do gado contra doenças contagiosas. É geralmente representado com uma ferida na perna, com um cão aos pés e com um bastão e uma vieira típica dos peregrinos.


Fonte_Calendarr

12 comentários:

  1. Uma história incrível para a habitual fotografis dominical.
    Bom domingo!

    ResponderEliminar
  2. Adorei conhecer a história de são Roque.Sempre ótimas publicações por aqui!Bjs!

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde Piedade,
    Não conhecia a história de São Roque muitíssimo interessante.
    Obrigada por tê-la partilhado.
    A imagem que partilha é linda!
    Continuação de bom domingo.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar
  4. É sempre com o conhecimento!:))
    *
    As férias terminaram, agora vamos com calma...
    .
    3º Dia... E de coração cheio...
    .
    Beijo e uma excelente semana.

    ResponderEliminar
  5. Excelente apresentação de um património tão forte e marcante da capital.
    Gostei

    ResponderEliminar
  6. Hola Piedade, muy Bonita la historia, que no la conocia, feliz semana.
    Un abrazo

    ResponderEliminar
  7. Boa noite de domingo querida amiga Piedade!
    Salve São Roque!
    Aqui temos a devoção de pedir a proteção quando um cachorro nos ameaça e gritamos, Sao Roque três vezes...
    Linda homenagem!
    Tenha uma nova semana abençoada!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
  8. Belíssima imagem, Piedade, com este formidável suporte informativo! Desconhecia a história de São Roque! Beijinhos!
    Ana

    ResponderEliminar
  9. Thank you for sharing this wonderful post keep your awesome work
    Fooddy Blog shows how to make simple dishes so that you can make delicious food for your family. Share your knowledge about cooking.Foody

    ResponderEliminar
  10. Suas postagens de domingo sempre tiveram um cunho religioso adorável. A foto é bela e a narrativa me trouxe desconhecidos fatos da vida de São Roque. Gostei demais! Bjs.

    ResponderEliminar

Não sou fotógrafa, mas, gosto de fazer arte com a fotografia. Todas as palavras e as imagens deste blogue são de minha autoria, excepto as que estão assinaladas com os devidos créditos. Não são fotos perfeitas, nem eu quero que assim sejam, porque por vezes é na imperfeição que se encontra a beleza encoberta.
Muito obrigada pela visita!