segunda-feira, 13 de abril de 2015

Despenteada

O vento… o vento

Nas tuas mãos o vento
O vento nas tuas mãos
E eu ao vento
Ao vento das tuas mãos
Nas mãos do vento
Que eram as tuas mãos.

8 comentários:

  1. Bom dia, Piedade.
    Que belo poema, querida.
    Nada mais libertário do que o vento em nossos corpo e nós soltas a ele.
    Tenha uma semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderEliminar
  2. Um afago despenteado do vento, que nos leva à procura do vento e do tempo certo.
    Um abraço,
    J

    ResponderEliminar
  3. "O vento cala a desgraça/ O vento nada me diz".
    Os ventos primaveris são muito funestos para as minhas alergias, mas destes ventos eu gosto.

    ResponderEliminar
  4. Gosto do olhar!
    e assim despenteada tanto melhor, não é?
    beijo

    ResponderEliminar
  5. Olá, Piedade,
    esses seus olhos que vêm o que ninguém vê.
    Linda, esta foto.
    Do vento, nem sei que diga: esse tolo desvairado que nos leva nas mãos...

    bjn amg

    ResponderEliminar
  6. Tudo ao sabor do vento, bem natural e lindo. Bjs.

    ResponderEliminar

Não sou fotógrafa, mas, gosto de fazer arte com a fotografia. Todas as palavras e as imagens deste blogue são de minha autoria, excepto as que estão assinaladas com os devidos créditos. Não são fotos perfeitas, nem eu quero que assim sejam, porque por vezes é na imperfeição que se encontra a beleza encoberta. Muito obrigada pela visita!